Coluna Política Pimenta no Reino 26-09-2018

Publicado em 26/09/2018 - 10:57 | Por Redação

Ao contrário do que disse na TV, Jorge Viana continua a receber pensão de ex-governador

Declaração dada a uma emissora local diverge de dados publicados no Portal da Transparência do governo

Preâmbulo

Certos textos publicados em sites e jornais – e não apenas os daqui – carecem tão-somente ser lidos com atenção para que revelem a incipiência argumentativa do autor. E quando os argumentos são deselegantes, a lógica tende a ser maltrapilha.

Arrogância travestida de modéstia

O exemplo mais recente, parido ali pelas bandas do Iaco, foi escrito para sugerir que o presidenciável petista Fernando Haddad, em segundo nas sondagens de intenção de voto, atrás de Jair Bolsonaro (PSL), seria capaz de anabolizar a candidatura e Marcus Alexandre ao governo estadual. O raciocínio está implícito. Mas a presunção é descarada: o escriba aventa a hipótese que com os dois petistas no poder, o Acre ganharia impulso, como, segundo afirma, ocorreu com Lula no Palácio do Planalto e os Viana no governo estadual.

Ponto a ponto

Em primeiro lugar, Haddad é quem, supostamente, poderia ser fortalecido pelo companheiro que disputa a sucessão de Tião Viana. Em segundo, a remota vitória do presidenciável do PT é menos remota que a de Marcus Alexandre. Em terceiro, os acreanos já deram reiteradas demonstrações de que não vinculam voto para presidente à escolha de governador. E em quarto – e último –, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, do PSDB, foi muito mais magnânimo com o Acre do que Lula à época em que comandou o país.

Essa gente é uma graça

Mas o otimismo dos que se acostumam às mordomias do poder é capaz dos mais inacreditáveis contorcionismos intelectuais. Haddad nem sequer foi para o segundo turno e o gajo já dá sua vitória como certa. De quebra, tenta convencer a meia dúzia de leitores de seus textos de que seria uma boa eleger, junto com o ex-prefeito de São Paulo, o também ex-prefeito de Rio Branco.

Ojeriza

A tentativa de ‘colagem’ de Marcus Alexandre ao presidenciável do PT em ascensão é tão burlesca que a última pesquisa de intenção de voto para presidente no Acre mostrou que Haddad nem ao menos chega a 5 pontos percentuais. Já o capitão Jair Bolsonaro passa do 50%. É o povo dizendo não ao partido do mensalão e do petróleo.

Maluco beleza

Mas o escriba do Iaco, ainda que escreva ficção sob a certeza de que faz jornalismo, tem todo o direito de edulcorar a realidade. Cabe à meia dúzia de leitores que o prestigiam decidir se batem palma pro maluco dançar.

É cada ‘coiso’!

A propósito, a presidenta escorraçada chamou Jair Bolsonaro de ‘coiso’. Considerando-lhe a limitação do vocabulário e o seu QI deficiente, foi a pior ofensa que ela conseguiu articular contra o adversário político. Dilma já cunhou o neologismo ‘mosquita’, que o leitor não encontrará nos dicionários. É dela também a frase “Não acho que quem ganhar ou quem perder, nem quem ganhar ou perder vai ganhar ou perder. Vai todo mundo perder”. Sacou?

Fala sério!

O senador Jorge Viana, com toda aquela serenidade de monge budista diante das câmeras, afirmou que não responderá aos ‘ataques’ que tem sofrido. A coluna quer saber que ataques são esses. Quem é que se põe a ofender o senador que, enquanto esteve no governo, tratou de exumar, por meio de uma manobra na Assembleia Legislativa, a pensão vitalícia que fora sepultada por Orleir Cameli? Falar disso agora é ofensa?

Pega na mentira

A propósito, Jorge Viana faltou com a verdade ao afirmar, dias atrás, durante entrevista a uma emissora de TV local, que havia abdicado da pensão vitalícia que ele e os outros ex-governadores do estado (ou as viúvas dos que faleceram) recebem da Previdência Estadual.

Rol

O colunista teve acesso à lista dos pensionistas do serviço público estadual e se deparou com o nome do senador petista, como beneficiário de uma renda mensal bruta de R$ 30.471,11. A lista é referente ao mês de agosto deste ano, o que faz supor que até o mês passado o petista embolsou o dinheiro.

Trem da alegria

Além dele, constam na relação, o deputado federal Flaviano Melo (MDB) e o também ex-governador Binho Marques (PT), entre outros felizardos. O leitor que porventura queira checar a veracidade da informação, pode clicar aqui.

Veja também

Comentários

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.